"Sem reflexão não há evolução."

Jairo Alves

@jairobigbrain

jairo2k@gmail.com

Jairo Alves

 

Sobre MIM

 
Meu nome é Jairo Alves, eu nasci em Santos/SP em 1956. Eu sempre trabalhei em processamento eletrônico de dados e telecomunicações. Eu fiquei quase 22 anos na Embratel, alguns anos em outras empresas e os 7 anos que precederam a minha aposentadoria na engenharia comercial da Telefônica.

Eu sempre fui muito observador, curioso e questionador. Muito cedo, eu percebi que tudo na natureza era interdependente e lógico. Mais tarde eu aprendi que muita coisa podia ser explicada pelas ciências e traduzida em números. Entretanto, eu me senti extremamente decepcionado quando tentei descobrir o que acontecia após a morte. As informações que eu recebia eram incompatíveis com a lógica por trás dos fatos naturais.
 
O meu interesse pelo que acontecia após a morte era tão grande que eu mesmo resolvi buscar as minhas respostas. Eu lia praticamente tudo que tivesse alguma relação com este assunto. Havia muita coisa lógica, mas elas não se integravam, faltava algo. Até que um livro de filosofia hegeliana do prof. Djacir Menezes me fez ter uma visão mais pragmática da natureza. A partir deste momento decidi prestar mais atenção a tudo que se relacionasse com isto.
 
Em 1975 durante a realização de um treinamento de telegrafia para trabalhar na rede de estações costeiras da Embratel eu pensei: “O segredo para a materialização de formas inteligíveis está aqui”. Contudo, não consegui encontrá-lo. Mais tarde, já em 1982, eu desenvolvi um programa para automatizar a nossa escala de revezamentos. Grata foi a surpresa, quando percebi que este programa era o que falta para explicar como a natureza funciona.
 
O estudo da Teoria Geral dos sistemas de Karl Ludwign Von Bertalanffy me convenceu que a natureza somente poderia ser compreendida se fosse estudada com um imenso sistema onde tudo está perfeitamente integrado. Para ampliar a minha visão de sistemas me pós-graduei em análise de sistemas e migrei para a área de processamento de dados. Mais tarde migrei para a área de redes, pois percebi que isto era imprescindível para entender a estrutura da natureza.
 
Foram quase 34 anos de estudos e muitas tentativas frustradas até descobrir os pilares que sustentam a natureza. Para entender o papel de cada um deles e escrever a Teoria do Big Brain foram necessários mais cinco anos. Posso adiantar que Shopenhauer estava certo: “A tarefa não era ver o que ninguém viu ainda, mas pensar o que ninguém havia pensado sobre algo que todos vêem.” A leitura da Teoria do Big Brain é indispensável para quem anseia por respostas racionais para as grandes questões da vida. Entretanto, eu sugiro antes ler "O Thacentrismo" (baixar grátis aqui), pois ele foi o ponto de partida para a elaboração da Teoria do Big Brain.

Você pode destacar informações importantes ou anúncios em textos como este.