"Sem reflexão não há evolução."

Jairo Alves

@jairobigbrain

jairo2k@gmail.com

Uma visão surpreendente do universo.

11/02/2014 21:36

Uma grande parte da humanidade anseia por hipóteses confiáveis para questões, tais como: Que existe? Que somos? Deus existe? Que é a alma? A confiabilidade destas hipóteses tem que se basear em uma visão do universo que seja totalmente lógica, pois ninguém conseguiu entender o universo em sua totalidade para poder afirmar com certeza absoluta que ele é caótico.

 

A complementaridade natural é a principal evidência de que a lógica do universo é uma propriedade indispensável para apresentar hipóteses confiáveis para as grandes questões da humanidade. Em outras palavras, a complementaridade natural é uma prova inequívoca de que absolutamente tudo no universo se integra em um gigantesco mecanismo natural que é completamente lógico e não caótico como se especula.

 

As visões disponíveis do universo não são confiáveis, pois algumas são místicas e outras explicam apenas fenômenos específicos. As visões místicas não explicam coisa alguma, apenas creditam os fenômenos naturais a uma entidade superior. As visões científicas explicam fatos isolados, mas não conseguem enxergar ao todo, pois elas simplesmente ignoram os fenômenos que não sejam das suas áreas.

 

O estágio de desenvolvimento cultural da humanidade, os interesses pessoais e os organizacionais são os maiores empecilhos para lograr uma visão inteiramente lógica do universo. Isso acontece porque o primeiro possibilita o surgimento de crenças difíceis de serem derrubadas e o segundo se apóia nelas para levar vantagem.

 

Os pré-requisitos necessários para tornar uma visão do universo válida são: integrar todos os fatos materiais e imateriais de forma a compor um único mecanismo que seja capaz de gerar todas as coisas naturais, inclusive a si mesmo. Em outras palavras, uma visão válida do universo tem que demonstrar que ele é um mecanismo ou sistema de hardware e software que é capaz de criar absolutamente tudo, inclusive a si mesmo.

 

Seth Lloyd, especialista em computadores e professor de engenharia mecânica do Instituto de Tecnologia de Massachusetts tem uma visão bem contemporânea do universo.Ele vê o universo como uma espécie de computador cujos insumos e produtos são a realidade natural. Os maiores méritos desta visão são proporcionar uma visão holística do universo e possibilitar entender porque todo evento ruma ao futuro, isto é, porque o envelhecimento e a decadência são inevitáveis.

 

O universo pode ser visto de uma forma mais inteligente e lógica que a anterior. Ele pode ser visto como um cérebro, memória ou rede neural que são muito mais sofisticados do que qualquer computador. O nome desta visão é “Teoria do Big Brain”. Ela virou um livro de mesmo nome que explica minuciosamente como construir e integrar as entidades e fenômenos naturais para viabilizar este grande cérebro. Este livro também apresenta hipóteses factíveis para a origem da matéria, dos números, dos comportamentos racionais e de muitas outras questões que intrigam a humanidade. Para saber mais sobre essa visão surpreendente do universo, clique aqui.