"Sem reflexão não há evolução."

Jairo Alves

@jairobigbrain

jairo2k@gmail.com

Reflexões Sobre os Sentimentos

11/02/2014 21:32

A palavra “sentimento” deriva do verbo sentir e pode ter vários significados relacionados ao mesmo. Exemplo: Capacidade de sentir, ato ou efeito de sentir, compreensão, percepção, sensibilidade, sensação, amor, ódio, paixão, pesar, pressentimento, sentido etc. Geralmente, estas possibilidades são chamadas de “sentimentos”.

 

Os seres humanos são escravos dos seus sentimentos. Eles deveriam ser considerados seres sentimentais, pois quase tudo que eles fazem é para atenderem aos seus sentimentos. Os fatos mostram que a racionalidade está a serviço dos sentimentos e não o contrário. Em outras palavras, os seres humanos são mais sentimentais do que racionais. A grande maioria dos pensamentos gira em torno de sentimentos. Até os sonhos estão impregnados de sentimentos. É por esta razão que eles parecem reais e são tão impactantes. Em suma, a maioria dos nossos passos é guiada pelos sentimentos.

 

A predominância dos sentimentos sobre a razão é a raiz da maioria dos conflitos. Os sentimentos podem tornar as pessoas mais egoístas e melindráveis. Para a maioria das pessoas é muito penoso ignorar os seus sentimentos e raciocinar friamente. Em outras palavras, para algumas pessoas os sentimentos são tão dolorosos que elas preferem ignorar a lógica a suportá-los. É por isso que as críticas e divergências geralmente não são bem-vindas. Em outras palavras, os sentimentos têm um papel extremamente relevante no etnocentrismo e no caráter.

 

A melhor forma de conceituar os sentimentos é a seguinte: Os sentimentos podem ser estados ou propriedade da mente. Eles são estados mentais quando significarem reações tais como: pesar, raiva, ódio, amor, paixão etc. Eles são propriedade da mente quando significarem a aptidão ou capacidade de sentir. Os estados e propriedade mentais são intrínsecos, pois eles somente existem conjuntamente.

 

Os sentimentos são parte de um processo de comunicação no qual o cérebro é o receptor, pois todo sentimento requer um estímulo. A única coisa que é capaz de sentir e reagir a este tipo de estímulo é o “Eu”. A empatia é uma boa prova disto. Ninguém consegue sentir os sentimentos de outrem sem simular os seus estímulos em si mesmo. Em outras palavras, os sentimentos são a capacidade de interpretação ou assimilação de estímulos e as suas respectivas saídas, as reações mentais.

 

Muitas vezes os sentimentos são acompanhados de reações físicas tais como: suores, palpitações, tremores, elevação de temperatura, pressão etc. Isto acontece porque o organismo está sob o controle do cérebro, que por sua vez está sob o controle do “Eu”. Em outras palavras, os sentimentos podem desequilibrar o “Eu” e afetar as funções cerebrais que controlam o organismo. Geralmente o coração leva a culpa por este descontrole, mas ele é apenas mais uma vítima das variações de estados do “Eu”.

 

Os parâmetros que determinam o tipo e a intensidade dos sentimentos podem ser inatos ou adquiridos pelo “Eu”. Em outras palavras, os sentimentos são programados pela natureza e pela cultura. Sem esta programação, não existiria uma relação causal entre os estímulos e as reações mentais, isto é, os sentimentos seriam inviáveis.

 

Os sentimentos podem ser uma faca de dois gumes. É preciso aprender a lidar com eles para não se ferir nem aos demais. Quem fizer isto pode melhorar muito a sua qualidade de vida e ainda abrir a mente para novas possibilidades. Para evoluir nesta direção, sugiro ler “Reflexões sobre a verdade”.