"Sem reflexão não há evolução."

Jairo Alves

@jairobigbrain

jairo2k@gmail.com

Reflexões sobre o destino

11/02/2014 21:31

A palavra destino informa quando um fato é inevitável ou quase. Ela tem esta conotação porque os eventos que geram um fato têm 100% de probabilidade de ocorrência ou quase isso. Exemplo: Todos nós vamos morrer; O destino dele é o Rio de Janeiro; Esse é o meu destino; Ela vai ser professora. O único exemplo cujo fato tem 100% de probabilidade de ocorrência refere-se à morte, pois os demais eventos podem falhar. Em outras palavras, o destino nem sempre é garantido.

 

A garantia de um destino é sempre assegurada por uma programação que pode ser natural ou não. Exemplo: Os organismos têm os seus destinos programados através do DNA. Os destinos dos vôos, ônibus, taxis são programados pelos interesses dos passageiros. Em outras palavras, a programação é imprescindível para que haja um destino.

 

A percepção da relação entre o destino e a programação induz muita gente a crer que absolutamente tudo na vida é programado, inclusive a sua sorte sentimental e profissional. Neste caso a palavra sorte é usada para qualificar o destino. A busca por explicações e a ignorância abriram as portas para o misticismo e levaram as pessoas a creditarem os seus destinos a deuses, à configuração astral e até mesmo aos números. Este é o motivo delas tentarem descobrir os seus destinos por meio de práticas primitivas e estranhas, tais como: cartas, vidência, astrologia, numerologia, quiromancia, búzios, borra café, chá etc.

 

A crença de que Deus traça o nosso destino quando nascemos é extremamente nociva ao ser humano. Ela nos reduz a marionetes de uma vontade superior que teoricamente poderia fazer qualquer coisa conosco. A aceitação desta idéia possibilita aos charlatães usarem a nossa boa fé para nos ameaçarem com o inferno e a desgraça para nos venderem o paraíso e as graças divinas. Em outras palavras, a crença no destino nos deixa vulneráveis à charlatanice.

 

A única certeza que temos com relação ao destino é que ele existe nos processos naturais. Em outras palavras, a natureza define o destino de todos os seus componentes, pois nenhum deles escapa às suas leis.  A natureza nos impõe alguns limites que não podem ser derrubados. Entretanto, alguns limites são ilusórios ou temporários. Este tipo de limite pode ser superado ou derrubado e o nosso destino reescrito. Isto somente depende da nossa capacidade ou vontade de superar barreiras.

 

O livre-arbítrio é a principal evidência de que algumas vezes é possível se reescrever ou modificar o destino. Quase todo mundo conhece ou já ouviu falar de alguém que estaria destinado à miséria, ignorância, solidão ou ao anonimato devido as suas impossibilidades, mas que mudou isso porque superou as suas limitações. A natureza não nos dotaria de livre-arbítrio caso a sua intenção fosse nos dominar completamente.Esta conclusão humaniza a natureza, mas pela lógica, pai de peixe só pode ser peixe.

 

Está em suas mãos decidir se você quer ser ator ou diretor da obra que define o seu destino. Se você optar pela direção, é necessário saber mais sobre o funcionamento da natureza. Para isso eu sugiro a leitura da Teoria do BigBrainLembre-se: o destino somente é inevitável prá quem aceitá-lo passivamente.