"Sem reflexão não há evolução."

Jairo Alves

@jairobigbrain

jairo2k@gmail.com

Reflexões sobre a realidade

11/02/2014 21:27

A palavra “realidade” vem de “realitas” do latim que significa “coisa”, isto é, tudo que existe. Ela deriva de “real” que é a qualidade de ser ou existir que em latim é “realis”. Grosso modo, a realidade é um conjunto qualquer de fatos. Contudo, este conceito nem sempre é respeitado, pois muita gente usa a palavra realidade para tentar qualificar como reais as suas suposições e crenças.

 

A intangibilidade não impede a realidade de fato algum. Em outras palavras, nada pode ser taxado de irreal por ser intangível. Exemplo: O pensar, raciocinar ou imaginar é tão real quanto são as pedras e árvores. Obviamente, nem todos os pensamentos correspondem à realidade, pois muitos deles são apenas devaneios ou suposições. Em suma, a realidade pode compreender qualquer qualidade ou propriedade intangível desde que esta corresponda a um fato.

 

A realidade pode ser subdividida nas seguintes categorias: “realidade natural” e “realidade artificial”. A realidade natural compreende tudo aquilo cuja existência deva-se à natureza, ou seja, a realidade natural compreende as “coisas naturais”. Em outras palavras, a realidade natural é composta pela flora, fauna, corpos celestes e pelo universo. Esta visão atribui à natureza um âmbito de atuação que é muito maior do que aquele que a maioria das pessoas está acostumada. Contudo, é preciso lembrar que as leis da natureza suportam o universo inteiro e não apenas “as coisas” do nosso planeta.

 

A realidade artificial pode ser subdividida em dois níveis: o primário e o secundário. O nível primário da realidade artificial compreende tudo aquilo que as pessoas e os animais fabricam. Exemplo: casas, máquinas, formigueiros, colméias, barragens, etc. O nível secundário da realidade artificial compreende apenas a realidade virtual, pois a singularidade desta merece destaque.

 

A “realidade virtual” compreende existências ou coisas que sejam perceptíveis apenas através da visão. Basicamente, ela é uma projeção computadorizada cujo objetivo é provocar a inclusão dos seus espectadores. Portanto, os elementos da realidade virtual somente existem enquanto estiverem sendo projetados. A realidade virtual carece de algumas características que são inerentes às demais realidades. Esta diferença é muito importante, mas não torna a realidade virtual irreal.

 

A realidade natural é completamente diferente dos demais tipos de realidades. Essa diferença é devida a uma variável que nenhum outro tipo de realidade tem. Esta variável é responsável por todas aquelas características que diferenciam as coisas naturais das demais. É por causa dela que é tão difícil copiar a natureza. Geralmente, as pessoas percebem a existência desta variável, reconhecem a sua importância, mas não conseguem entender como ela possibilita a realidade natural.

 

Para conceituar realidade acertadamente é preciso conhecer a engenharia da natureza, pois ambas fazem parte do mesmo pacote. Este conhecimento não pode ser obtido em nenhuma ciência ou religião. Entretanto, já existe uma visão que preenche esta lacuna de forma lógica e totalmente amparada em evidências. Para saber mais dela leia “Uma visão surpreendente do universo.”. Lembre-se: “A tarefa não é tanto ver o que ninguém viu ainda, mas pensar o que ninguém pensou sobre algo que todos vêem. (Schopenhauer).