"Sem reflexão não há evolução."

Jairo Alves

@jairobigbrain

jairo2k@gmail.com

Deus - Panacéia ou Placebo?

11/02/2014 21:07

Muitas pessoas acham que Deus é a solução para tudo. Para elas Deus pode fazer qualquer coisa. Deus pode curar qualquer doença. Deus pode definir a sorte de qualquer ser. Em outras palavras, para muita gente Deus é uma panacéia, isto é, Deus é o remédio para todos os males do mundo. Esta crença está condicionada à outra crença, a crença de que absolutamente tudo é devido à vontade de Deus. Geralmente, Deus é caracterizado conforme as crenças e valores destas pessoas. Talvez seja por isto, que Deus é visto como alguém temível que pune àqueles que desrespeitam a sua vontade. Em suma, Deus é um produto cultural, pois ele é uma projeção de crenças e valores.

 

Para muita gente Deus é apenas uma crendice. Para elas Deus foi inventado para atender as necessidades mentais humanas; o mundo (o universo) com tudo que há nele, inclusive nós, é fruto do acaso. Em outras palavras, essas pessoas preferem acreditar que Deus não existe e que o mundo independe dele. Em suma, para muita gente Deus é um placebo, isto é, Deus é um falso remédio para doenças ou necessidades da mente.

 

Para responder coerentemente se Deus é panacéia ou placebo é importante considerar os seguintes prós e contras: Primeiro, os fatos mostram que nada acontece por acaso, isto é, todas as coisas têm um fato gerador. Segundo, até prova em contrário, os fatos também mostram que nenhum fenômeno pode prescindir das leis da natureza. Na primeira consideração está explícita que a realidade sempre requer algum tipo de criador. Na segunda consideração, está explícita que a lógica natural jamais deve ser ignorada, pois fato algum pode prescindir dela. Em suma, é preciso cautela com todos os pontos de vistas, pois eles podem conter alguma verdade, ou seja, eles podem ser meias-verdades.

 

É preciso muita prudência para lidar com meias-verdades, pois elas são complementadas por meias-mentiras. As meias-mentiras podem assumir o status de verdades se forem repetidas muitas vezes. Principalmente, se forem repetidas por bilhões de pessoas durante milênios ou profissionais tão respeitados quanto os cientistas. Em outras palavras, nada impede que a verdade de hoje tenha sido construída sobre uma grande mentira.

 

Uma maneira sensata de responder a pergunta: “Deus - Panacéia ou Placebo?” é a seguinte: “A visão que a maioria das pessoas tem de Deus configura um placebo, pois é preciso abdicar da razão em favor da fé para viabilizar muitas das qualidades ditas divinas.” Os motivos que levam alguém a ter fé são muitos. Exemplo: a situação na qual a pessoa se encontra; o condicionamento cultural; as estórias que divulgam Deus como panacéia são mais tocantes e accessíveis do que a visão científica; o medo da morte e a aceitação de estar largado à própria sorte é um fardo muito grande para a maioria das pessoas. 

 

Respeitar as crenças e opções dos semelhantes é muito importante, pois as culturas humanas se encontram em diferentes estágios evolutivos. Entretanto, algumas vezes é necessário defender os incautos e a sociedade de estelionatários, oportunistas e radicais. Uma boa maneira de fazer isto sem gerar grandes conflitos é divulgar às pessoas de mentes abertas, visões do mundo que sejam realmente factíveis. Para conhecer duas visões que se encaixam perfeitamente nesta descrição sugiro ler: “Uma visão surpreendente do universo.” e “A Teoria do Big Brain.