"Sem reflexão não há evolução."

Jairo Alves

@jairobigbrain

jairo2k@gmail.com

Boson de Higgs – Gato ou lebre?

11/02/2014 21:03

 

Recentemente, os pesquisadores do laboratório Europeu CERN noticiaram que podem ter descoberto o bóson de Higgs ou a partícula de Deus. Os nomes Bóson de Higgs ou partícula de Deus designam uma partícula subatômica imaginária a partir da qual todas as coisas seriam constituídas.

 

Os cientistas esperam que a identificação do bóson de Higgs lhes possibilite entender a estrutura básica da matéria e a criação do universo. A intenção é boa, mas nada impede que eles se contentem com uma meia verdade e que continuem a nos impingir uma visão mecanicista e acidental do universo. Para escapar desta armadilha eles têm os seguintes desafios:

  1. Demonstrar que todas as estruturas materiais podem ser reduzidas a uma única partícula. Este procedimento serve para minimizar a possibilidade de que a partícula errada seja vista como bóson de Higgs. 
  2. Demonstrar que esta partícula sozinha consegue estruturar a todos os átomos da tabela de elementos químicos e provir as suas respectivas qualidades. Somente esta contraprova conseguiria realmente demonstrar que absolutamente tudo se estrutura a partir de uma única partícula.
  3. Demonstrar que esta partícula consegue se materializar sozinha. Esta demonstração é essencial para demonstrar que esta partícula é a mãe de todas as entidades físicas e não apenas mais uma filha como as demais.

Estas três demonstrações poderiam convencer a quase todo mundo da existência e das qualidades do bóson de Higgs . Entretanto, elas seriam insuficientes para explicar a criação do universo.  Para realizar esta proeza seria necessário identificar a procedência das leis da natureza, pois as relações causais que estruturam o universo do micro ao macrocosmo e a base de todas as ciências são implementadas através delas para servir a uma fonte que precisa ser mais bem identificada.

 

As notícias mostram que os pesquisadores ainda estão tentando cumprir o primeiro desafio, isto é, eles ainda estão tentando reduzir todas as entidades materiais a uma mesma partícula. O segundo desafio, isto é, demonstrar que todos os elementos químicos e as suas respectivas propriedades têm a mesma partícula como base será muito mais difícil para eles realizarem. O terceiro desafio poderá inviabilizar que a partícula pesquisada tenha o poder que eles acreditam. Mesmo se o dois desafios anteriores tiverem sido vencidos. Este caminho é muito árduo, mas é fundamental para evitar que os cientistas nos vendam gato por lebre.

 

A intenção deste artigo não é mostrar a impossibilidade de que haja uma partícula na base de todas as entidades materiais, mas alertar para que a capacidade de materialização não seja atribuída à entidade errada. Será que a capacidade de materialização pode ser atribuída a alguma entidade? Será que esta entidade conseguiria suportar as possibilidades existenciais referentes aos átomos de todos os elementos químicos e de suas respectivas propriedades? Será possível criar uma visão holística do universo com base nesta entidade? A resposta é sim, mas para conhecê-la e saber como ela consegue fazer isto é preciso enxergar a natureza e o universo por um ângulo bem específico. Para saber um pouco mais desta nova visão leia os artigos “O que somos nós?” e “Uma visão surpreendente do universo”.  Lembre-se que é abrindo a mente para novas possibilidades que se evolui.